quarta-feira, 6 de julho de 2011

Juventus-ITA - 3º uniforme 2011/12

O machismo e o sexismo imperaram e muito no futebol, mas ainda vicejará por um tempo. Não é porque se adotam a cor rosa que os tempos mudaram: apenas descobriram que cor não tem sexo, qualquer um pode usar. O rosa já consta no uniforme de treino do Atlético Mineiro, no 1º uniforme do Palermo-ITA. O Corinthians já apareceu de roxo (na época em que se ainda enxergava as cores do clube, pois hoje a camisa é 'puro' patrocínios). Mas adotar cores talvez ainda seja apenas jogada de marketing: aproximar mulheres e homens homossexuais para a torcida dos clubes. A homossexualidade está presente em todos os ambientes, e nunca esteve afastada dos esportes - apenas ocultada. Em ambientes machistas, revelações jamais serão feitas. Revoluções como a do jogador Michel, do Vôlei Futuro, demorarão a acontecer. No Brasil, vivemos o momento da legalização das uniões entre homossexuais, mas o conservadorismo da sociedade é tamanho que até mulheres que jogam futebol ainda são discriminadas, independentemente da orientação sexual. Que o time de Marta obtenha êxito na Copa do Mundo de Futebol Feminino que acontece neste mês, para que o sentimento que a população brasileira para com elas seja de reconhecimento, e não de desconfiança. Mulheres futebolistas devem procurar assegurar seu lugar no futebol, apesar do desprezo da CBF, e cabe a nós apreciarmos o talento delas. Quanto à homossexualidade, seja de mulheres ou de homens boleiros, isso não importa: a sexualidade não se manifesta dentro de campo.
Del Piero, Buffon e Pirlo, no centro: modelos do Juve
_______________________

Do blog As árvores são fáceis de achar...

A que ponto chega a ridicularização do futebol brasileiro pela Rede Globo:


Globo é a emissora que determina horário e data de jogos do Campeonato Brasileiro, colocando jogos depois das novelas, aos sábados à noite, com início às 22h e término depois da meia-noite; que com isso expulsa o torcedor do estádio e obriga-o a assinar o canal fechado da própria emissora; que detém os direitos de imagens dos jogos, mas vende caro ao telespectador que quer ver os jogos mais concorridos; que tem o despudor de entrar, e ainda sem touca, na cozinha que prepara a alimentação dos jogadores da Seleção da CBF; que não tem vergonha de entrar nos quartos em que os jogadores se hospedam; que trata o treinador Dunga como persona non grata; que faz de ridículos jogadores como esse do vídeo, e torcedores como nós; que cria um boneco inútil e incentiva uma comemoração estúpida; que não faz reportagens sobre corrupção na CBF e na Diretoria do Corinthians; que quer que torçamos para milionários que correm atrás de uma bola; que chama a empresa privada CBF de responsável por uma Seleção que não representa nosso País.

2 comentários:

  1. Esse negócio do João Sorrisão já está enchendo o saco. Cadê as comemorações originais dos hogadores?

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da posição a respeito do domínio exercido pela TV Globo no nosso futebol. É lamentável vermos essa situação, com os clubes sendo reféns de qualquer iniciativa "idiota" como esta do João Sorrisão. Espero que um dia realmente os mesmos abram os olhos e consigam, ao menos, a independência financeira, vínculo que mantém os mesmos ligados à emissora.

    A respeito do Blog, venho aqui para parabenizar o seu trabalho. Pelo apoio dado ao "Do Outro lado da Bola", tomei a liberdade de colocar um link com a home do Escudetos na área dos parceiros. Espero poder ajudar na divulgação de seu site. Qualquer sugestão para nosso trabalho, envie pelo e-mail dooutroladodabola@gmail.com Abraços e boa noite!

    ResponderExcluir